Encaminhamentos da Assembleia Consultiva do dia 3 de junho

Professores e professoras da UFFS se manifestaram sobre as ações de solidariedade para o momento da pandemia, as declarações antidemocráticas de Marcelo Recktenvald nas redes sociais, as férias docentes no contexto atual e discutiram a criação de uma comissão para debater as atividades não presenciais na UFFS.

Convidamos os/as docentes a participar das duas comissões criadas na assembleia: comissão de solidariedade e comissão de debate das atividades não presenciais. Entre em contato pelo e-mail secretaria@sinduffs.org.br

Na assembleia virtual de caráter consultivo realizada no dia 3 de junho, os professores e as professoras da UFFS se manifestaram sobre as ações de solidariedade para o momento da pandemia, as declarações antidemocráticas de Marcelo Recktenvald nas redes sociais, as férias docentes no contexto atual e discutiram a criação de uma comissão para debater as atividades não presenciais na UFFS.

Até o momento, a SINDUFFS divulgou e pediu apoio para ações promovidas nos campi por entidades estudantis e movimentos sociais. A assembleia indicou a realização de ações de solidariedade próprias, organizadas por comissões por campus, encarregada de listar, analisar e distribuir os recursos financeiros arrecadados em campanha aos docentes através de conta poupança única específica para isso.  De antemão, contarão com o valor de R$ 1.000,00 colocados a disposição pelo ANDES-SN para realização de ações de solidariedade.

As declarações antidemocráticas de Marcelo Recktenvald das redes sociais em apoio à intervenção militar no STF deverão ser levadas aos órgãos competentes para averiguação de possíveis ilegalidades e  reparações coletivas.  Docentes apoiam que nas instâncias deliberativas da universidade sejam feitas moções de repúdio às declarações e em solidariedade as instituições democráticas atacadas. Reiteram o apoio e fortalecimento da campanha “Fora Bolsonaro! E leva o Marcelo junto!”.

Houve o consenso de que as férias docentes devem ser garantidas respeitando os prazos legais para o gozo, contemplando o período das festividades de fim/início de ano, independente do calendário, com negociação das excepcionalidades, ressaltando ainda a necessidade de garantir o acesso dos estudantes à universidade através do transporte público ou fretado durante o período letivo. A Diretoria da SINDUFFS mencionou a reunião agendada com a PROGESP no dia 5 de junho para debater a questão das férias e dos contratos dos professores substitutos, sendo dado o retorno na próxima assembleia consultiva marcada para 10 de junho.

Ademais, a assembleia debateu a criação de uma comissão para debater as atividades não presenciais no contexto da pandemia de Covid-19 e reuniu os docentes interessados em integrá-la. A comissão terá a finalidade de reunir informações sobre essas atividades e avaliar os diversos aspectos sobre esse tema. Dentre eles, a avaliação das atividades presenciais já realizadas, os diferentes cenários, a discussão das pertinência de realizar ou não atividades nessa modalidade e a análise da infraestrutura necessária para sua eventual efetivação.

No mais, a Diretoria da SINDUFFS aproveitou a oportunidade para informar os próximos eventos e convidar os/as docentes para estarem reunidos novamente no dia 10 de junho, para uma nova assembleia consultiva antes da próxima sessão do Conselho Universitário.

Abaixo os principais pontos destacados:

  1. Ações de Solidariedade 
  • Continuação da divulgação de ações de solidariedade realizadas nos campi;
  • Distribuição de R$ 1.000,00 do ANDES para ações de solidariedade nos campi a critério das comissões de solidariedade (sugestão de três membros) responsáveis por listar, analisar e distribuir os recursos;
  • Construção de campanha própria da SINDUFFS com arrecadação dos/das docentes em conta poupança única e através das comissões de solidariedade.
  1. Posição dos/as docentes sobre a declaração de Marcelo Recktenvald
  • Realização de nota conjunta com as entidades sindicais e estudantis da UFFS;
  • Encaminhamento aos órgãos competentes para averiguação e ação por danos morais coletivos;
  • Ampla divulgação na imprensa e reforço para campanha “Fora Bolsonaro! E leva o Marcelo junto!”;
  • Reivindicação de posicionamento das instâncias deliberativas da universidade sobre a declaração;
  • Solicitação de manifestação de solidariedade das instâncias deliberativas da universidade em favor da inicativa do DCE da UFFS/Chapecó de ação para garantir as regras de distanciamento social no período da pandemia.
  1. Férias docentes
  • Garantir um período de férias letivas/docentes entre o final de dezembro e janeiro independente do calendário para que os docentes que desejarem possam tirar férias;
  • Possibilitar que as férias possam ser gozadas nos prazos legais com negociação das excepcionalidades;
  • Garantir que o período letivo coincida com a disponibilidade de transporte público e fretado para acesso dos/as estudantes;
  • Reunir com PROGESP sobre o tema no dia 5 de junho (sexta-feira);
  • Agendamento de nova assembleia consultiva antes do dia 10 de junho para avaliação da proposta a ser apresentada no CONSUNI;
  1. Criação de comissão para debater as atividades não presenciais
  • Debater a situação das atividades não presenciais e sua perspectiva com o prolongamento da pandemia;
  • Criar comissão com objetivo de avaliar os diversos aspectos relacionados ao tema:

a) Avaliação das atividades presenciais realizadas (78 de 1758 CCRs);
b) Propostas para o próximo período considerando os diversos cenários;
c) Discussão da pertinência ou não de realizar neste contexto atividades não presenciais;
d) Identificação da infraestrutura necessária para que as atividades não presenciais possam ser realizadas.